… a certeza de que isto somos nós. As conversas ajudam a contar.
23
Out 11
ab-so-fucking-lu-tely, às 23:43Link | Comentar | Absolutamente adorável!

 

 

 
A esquizofrenia profunda do tempo climatérico deste Outubro... peculiar(!) atirou-me, sem aviso prévio, para uma espiral de ''pensamentos-sobre-a-vidinha'' bem mais profundos e requintados que o nível de insanidade típico das espirais cíclicas da so well known TPM. Era suposto aguentar o quente-frio disruptivo sem um risquinho na pintura?! Off course not
A tarde chuvosa regou abundantemente os meus delírios fabulados em diálogos mentais e dei por mim a assistir ao clássico dos clássicos do meu cinema pessoal privado e, até este preciso momento, instransmissível: ''Velha de mais", filme em cartaz. (Achei esta versão curta mais sintética... assim... catchy! Uhm?) 
Well, o centro do alvo - metáfora para 'coração do argumento' (damn! usei outra metáfora!) - é o prazo de validade que determinadas coisas, acontecimentos, marcos e ''first times'' têm para acontecer naquilo a que vamos chamar: ''acordo socialmente aceite pela sociedade que apenas procura aceitação social'', ou, abreviando: "ASAPSQAPAS". 
 
Well (outra vez...), a verdade é esta: as coisas têm um prazo, connosco não ia ser diferente. Não sei como é que ainda não produziram rótulos-acessórios para colarmos na testa, nos pulsos, nos tornozelos: ''fulano de tal/embalado a: xx/xx/xxxx/validade: 1 MESINHO PARA CONSUMIR SENÃO APODRECE''.
A vida é, acreditem em mim, um grande Hipermercado organizado por corredores, secções, prateleiras e expositores, no qual todos estamos arrumados por grupos criteriosamente formados de acordo com as nossas... características. Ele há tudo, para todos os gostos! (talvez aqui o Hiper-Mega-Supa-Dupa-Market esteja mais para Loja do Chenêns...) 
Há quem prefira a secção dos frios e, incrivelmente, quem faça um check! na dos congelados (será pelos factores 'rigeza' e consevação?...), quem, por sua vez, circule o seu carrinho por entre os expositores mais voltados para a beleza e higiéne e quem dê mais valor a um legume viçoso directamente do productor... para o consumidor!
 
As I said, há de um tudo e com fartura, só para contrariar a situação nacional que isto um ser humano não merece que lhe ataquem em simultanêo a carteira, a dignidade e as perspectivas amorosas(!)
Seguindo: fartura sim, ou não fossemos já mais de 7 mil milhões espalhados pela superfície deste grande Hipermercado global, o pior mesmo é a data de validade de cada um destes tantos milhões de items, já para não falar da problemática:  estado de conservação...
 
O desafio é imenso... colossal como o buraco do défice! milhares de milhões de produtos empilhados, enfileirados, frios, quentes, congelados e lá tem aqui a pobre de ir passeando o seu carrinho por entre os corredores e expositores, fintando a concorrência consumista ao mesmo tempo que lanço o olho a possíveis promoções de pegar ou de largar e isto tudo sem lista, nem orçamento, nem a miníma ideia se haverá em stock esse produto-mistério que quero tão imensamente (e rápido!) atirar para dentro do carrinho! Mas porque raio não inventaram ainda esses senhores marketeers um sistema fa-bu-lás-ti-co de comando de voz consumidor-produto, estilo: ''salta para aqui... produto! Vem à dona!''? Despachem-se lá a desenvolver a engenhoca que, a fazer pandan com a chuva, abateu-se sobre mim uma urgência em neon e ponto de exclamação de cumprir alguns dos "ASAPSQAPAS" que, mesmo que não tenham honras de happily ever after de comédia romântica, ajudam a enxotar a solidão que a chuva trouxe e o outrora Verão esquisó deste Outubro escondia da vista e dos sentidos...  
 
Estarei eu já velha demais para continuar a fintar os artigos de 1€ do expositor central (logo a seguir ao segurança que sela os sacos de loja alheia), ou ainda não estarei assim tão velha que não possa deixar rolar as rodas do meu carrinho à espera do momento em câmara lenta em que ''O Produto'' irá aparecer brilhante e dourado e em que cairão confetis do tecto do Hiper e em que haverá coreografia (em câmara lenta também) das meninas dos patins e em que serei abalroada por abraços da Popota e da Leopoldida (também eles em câmara lenta) e em que, tomada pela emoção, experimentarei a sensação dupla de concretização do sonho de consumo e cumprimento do primeiro dos "ASAPSQAPAS" da minha lista de compras?
 
(Ai se as malditas insónias me atiram para as Televendas...!)

"A vida é, acreditem em mim, um grande Hipermercado organizado por corredores, secções, prateleiras e expositores, no qual todos estamos arrumados por grupos criteriosamente formados de acordo com as nossas... características."

Lindo! :)

Este post está tão sincero que até assusta. Espero que não tenhas tido insónias ;)
Hugo Esteves a 8 de Janeiro de 2012 às 16:54

Acho que nessa noite ainda lutei nas habituais voltas e voltas até o sono chegar, mas, como a insanidade não chegou (ainda!) ao ponto de registar isso em video e criar uma biblioteca multimédia de auto-observação, não tenho como confirmar...hehe!

Quanto à sinceridade... se não verbalizarmos (porque não por aqui?!) estas pequenas/grandes conclusões de nós para nós mesmos, como é que o Universo pode algum dia entender-nos e atirar-nos o que precisamos encontrar?
...

;)
Ab.so.fucking.lu.te.ly a 8 de Janeiro de 2012 às 22:14

Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
14
15

16
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30


Os Absolutamente Favoritos
Procurar Conversas...
 
blogs SAPO