… a certeza de que isto somos nós. As conversas ajudam a contar.
13
Nov 11
ab-so-fucking-lu-tely, às 21:38Link | Comentar | Absolutamente adorável!

Em noite de trovoada a coisa iniciou com uma zoomada nas canelas da Tété que voou directo para os habituais trocadilhos em cartão e teleponto, antevendo com intrincadas referências à passarada, os depenados testemunhos da rapaziada reclusa na Masion de la Vente des Pines.

 

O desfile foi rico, com direito a pombas de peito cheio, pavões que bicam o pombal em horário nocturno, pardalitas oxigenadas de pouco pio, corujas pensadoras de sotaque espanhol, flamingos mestres das artes marciais, rolas suíças de crista levantada e araras algarvias de inteligência rara! Uma passarada chilreante cujo pio só foi ultrapassado pelo do gavião da diáspora mais conhecido por ''Senhor Fernando - o pai da Fanny e Rei Supremo do Facebook"(!) ...

O pássaro, todo ele grifando em cor-de-rosa, bateu asas a grande velocidade para fora do estúdio quando lhe chegou aos ouvidos o pio do pardal Diogo-no-más-da-Fanny que aceitou uma vez mais ser depenado em directo pela Águia Real Tété que viu na saída e regresso do pai da rolita suíça um verdadeiro prato de milho, diria eu que vi e ouvi tudo cá do meu poleiro...

 

Mas se pelos céus suíços se voa assim, pelos alentejos o bater da asa faz-se com bem mais parcimónia, ora não fosse a mãe da Susana quem decide quando, onde e como se pia naquele ninho! Pois que o senhor pai da ''piquena'' é um pau mandado ou não tivesse uma filha que escorrega no varão e que é, de certo, das pombas a que mais sofre com a mudança da pena...

Talvez seja por isso que, na falta do agasalho da penugem, esta pomba da paz (páz-páz!) tem bicado mais o pavão-mór lá da gaiola que até fazia um ninho com ela mas ''só quando vir o teste de gravidez dar positivo!"

Quem diria que as pombas também tomam a pílula... ele há coisas....

 

 

 

 
 

Se haverá ou não reprodução naquela gaiola, vamos ter que esperar para ver. Certo é que a época do acasalamento já começou e a passarada já voa e sobrevoa o recinto a marcar território.

O mesmo parece que fez a arara Cátia que trovejou para dentro do confessionário para contar a tod'i'qualquer português que uma destas noites o seu ''recipciente'' encheu demais ao sonhar com o regresso do melro-Carlitos e... ups! fez xixi na cama.

O riso nervoso compulsivo foi tanto ou tão pouco durante o testemunho que lhe vislumbrámos o "recipciente" por entre o cruza e descruza das patinhas nos verdadeiros voos picados que a bichita fazia naquele sofá-poleiro(!)

Para ela, aquilo lá ''dentre é inreal" e o ''sexe... na houve... o qu'houve foram tentativãs!''

Esta arara exótica algarvia que mata a Tété de tanto jubilo interior não saltou do poleiro rosa-choque do confessionário sem antes piar uma dedicatória à sua legião de fãs-cas'os-tenhã-Teresã:

 

''Oh fãs!... ê pósse nã ser muit'inteligente mas sou... um bele recipciente!"

 

E no fim do fungágá da passarada, quem voou para longe da gaiola foi a pardalita oxigenada.


Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

28
29
30


Os Absolutamente Favoritos
Procurar Conversas...
 
Subscrever Feeds
blogs SAPO